Como usar o celular em viagens internacionais – Dicas para economizar!

Não sabe como usar o celular em viagens para o exterior? Então descubra nesse post três maneiras simples para ter internet nas suas aventuras pelo mundo!

Veja dicas para usar o celular em viagens e se mantenha conectado durante toda a sua aventura!

Enquanto muitas pessoas viajam para se desconectar, eu preciso admitir que não consigo imaginar uma viagem sem internet. Eu uso o Google Maps para conseguir chegar de um lugar ao outro, o Waze quando preciso dirigir, o app de tradução quando não falo a língua local, o conversor de moedas quando preciso calcular quanto to pagando pelo McDonalds no meu destino e por aí vai…

Isso sem falar nas redes sociais para compartilhar tudo com meus amigos e família, além de com você e outros leitores do blog. É stories atrás de stories mostrando os melhores momentos de cada uma das minhas aventuras. Adoro!

Lendo isso, você pode estar pensando “nossa, mas quanto dinheiro ela gasta em roaming, deve sair uma fortuna!”. Mas não! A verdade é que, depois de algum tempo de estrada, descobri que existe mais de uma maneira de usar o celular em viagens sem pagar muito. E pode ter certeza, é assim que me mantenho conectada o tempo todo (ou pelo menos tento, rs).

Se você tem uma viagem se aproximando e também quer usar a internet para ter uma ajudinha – além de para compartilhar os melhores momentos – esse post vai te ajudar. Aqui expliquei sobre as três maneiras mais práticas para usar o celular em viagens: usando o simcard do Brasil, comprando um chip no exterior e usando um Chip de Viagem.

Vamos falar sobre as vantagens e desvantagens de cada uma delas:

Dá para usar o chip do Brasil em viagem internacional? Quanto custa?

Em teoria, não importa qual seja sua operadora brasileira, você consegue utilizá-la no exterior. Para fazer isso, é só ir nas configurações do seu celular e ativar a opção de roaming. Dessa maneira seu celular vai se conectar às redes parceiras da operadora, e funcionará da mesma maneira que em solo nacional.

O problema, no entanto, é o valor que você vai pagar para fazer tal uso. No geral, os minutos e MB que fazem parte do seu plano não se estendem para o roaming, e você vai precisar pagar extra. Na Claro, por exemplo, o preço por 25 minutos no Pacote Roaming America é de R$44,90, enquanto o valor para 100MB chega a R$129,90!

E, claro, esses valores são considerando que a operadora vai calcular corretamente o seu uso… vamos admitir que, na maioria das vezes, a conta vem bem mais salgada do que deveria e é só um estresse extra.

Planos de viagem das operadoras brasileiras

Mais interessante que o roaming são os planos feitos pelas operadoras especialmente para quem viaja com frequência. Na Claro, por exemplo, esse tipo de plano é chamado passaporte, e você paga um valor fixo a mais na conta todo mês (entre R$9,99 e R$29,99) para poder usar seu celular no exterior como se estivesse no Brasil, sem cobranças extras. Na Vivo, o programa equivalente é o Vivo Travel, e ele pode ser incluído no seu plano pós-pago ou ser cobrado por dia de viagem.

Esses planos podem ou não valer a pena. O passaporte Claro Americas, por exemplo, que só funciona no nosso continente, custa R$120 ao ano (R$9,99 por mês). Com a cotação atual do dólar, esse é o mesmo preço que você pagaria para comprar um chip nos Estados Unidos para usar por 21 dias. O chip dos EUA, no entanto, teria que ser recarregado caso você fosse fazer uma segunda viagem, enquanto na Claro você não pagaria nada a mais para usar o celular no exterior novamente. Nesse caso, usar o plano da operadora brasileira compensa mais.

Já para a Europa, o mesmo programa custa R$240 ao ano, enquanto um chip para quatro semanas em Portugal sai por menos de €20 (R$92). Para o plano da Claro compensar, então, você teria que passar quase 90 dias na Europa – sendo que não podem ser mais de 30 dias consecutivos fora do Brasil para os dados continuarem funcionando. No geral, já não vale a pena, a não ser que você vá fazer três viagens diferentes para a Europa no ano por quase 30 dias cada. Do contrário, esse plano apesar de mais conveniente sairá bem mais caro que comprar um chip no exterior.

Comprando um chip no exterior para usar o celular em viagens

Comprar um chip no seu destino é provavelmente a maneira mais popular para usar o celular em viagens. No geral, você chega no país, passa em uma loja de operadora móvel, escolhe um plano que seja o suficiente para o número de dias que você vai ficar por lá e, em poucos minutos, já tem internet e minutos para usar durante sua aventura.

A única atenção que é preciso ter nesses casos é seu o seu celular é desbloqueado para ser utilizado com qualquer chip. No Brasil, por lei os aparelhos já são vendidos desbloqueados, então você não precisa se preocupar. Se mora em outro país e tem contrato com alguma operadora, certifique-se que seu dispositivo estará apto para usar o chip do seu destino.

Descubra como usar o celular em viagens para o exterior nesse post! Dicas para ter internet sem pagar uma fortuna com roaming!

Vantagens de comprar um chip no exterior

Sem dúvidas, o maior benefício de comprar um chip lá fora é o preço. Em Portugal, por exemplo, por menos de €20 você consegue um plano de 30 dias com 3GB de dados e 500 minutos, o que no geral é mais que suficiente para uma viagem (afinal, você também vai usar o Wifi da acomodação e de outros lugares). Dificilmente alguma empresa brasileira conseguiria oferecer algo mais barato.

Além disso, como a operadora já é bem estabelecida no país, você pode confiar na cobertura e que ela vai funcionar na maioria dos lugares. Lembro na Tailândia, que comprei um chip local e tive internet até mesmo no mar no meio do “nada” entre as ilhas.

Desvantagens de comprar um chip no seu destino

Agora, falando do lado negativo. Se você for fazer uma viagem com múltiplos destinos, pode ser que precise de um chip diferente para cada país. E, como na maioria dos casos você precisa pagar pelo plano E pelo simcard propriamente dito, no final o valor gasto com esse tipo de serviço pode ser mais alto que o esperado. A exceção, claro, é a Europa, onde atualmente você consegue comprar o chip em um país e usar normalmente em quase todos os outros.

Outro problema – e que pode ser bem importante caso você vá depender da internet para fazer uma viagem de carro ou para chamar um Uber já lá no aeroporto – é que dependendo do horário que você chegar no seu destino pode ser que não tenha como comprar o chip. De noite ou de madrugada, por exemplo, a maioria dos quiosques não estão abertos, e você pode acabar sem ter como se comunicar ou até mesmo sem saber para onde dirigir.

Dependendo do país, pode ser também que seja um processo burocrático conseguir comprar um chip, mesmo para plano pré-pago. Na Argentina lembro que demorei quase duas horas na loja da Claro, e foi preciso passaporte E identidade brasileira para conseguir fazer a compra. Na Austrália, além do passaporte, tinha que preencher um cadastro com vários detalhes – e todo em inglês. Ok que eu sabia o idioma, mas para quem não sabe, pode ser um pouco trabalhoso.

Por último, sempre tem a possibilidade do plano não funcionar, estar mal configurado ou não ser o suficiente para as suas necessidades. Na África do Sul, por exemplo, comprei o plano de 1GB e em dois dias – sem usar o Instagram ou aplicativos mais pesados – eles já tinham acabado. Optei por essa quantidade pois era a única com valor razoável, o resto era muito caro, e não valeu a pena.

E não me entenda mal, apesar da lista de desvantagens ser bem maior que a de vantagens, quando dá tudo certo (e já deu em várias das minhas viagens), comprar um chip no destino é uma ótima opção para usar o celular em viagens. Apesar da má experiência que tive na Argentina e África do Sul, só tenho bons relatos de fazer isso nos Estados Unidos, Austrália e Tailândia.

Chip de Viagem – O que é, como funciona?

Um chip de viagem, como o nome já indica, é um chip feito especialmente para quem quer usar o celular em viagens. 

Na hora da compra, você seleciona em quais países (ou continente) vai querer usá-lo e por quantos dias, e depois escolhe entre as opções disponíveis de dados móveis ou dados e minutos. Não tem plano, não tem essa de roaming que custa mais caro, você apenas coloca o simcard no seu celular quando estiver no avião e já chega no seu destino com internet funcionando e podendo compartilhar tudo com seus amigos e família.

É mais barato comprar um chip de viagem ou um chip no exterior?

Depende. Como o número de dias e quantidade de dados influenciam no preço do chip de viagem, não tem como responder de maneira geral se ele vai ser mais caro ou barato que o chip no exterior.

Para responder essa pergunta, o ideal é dar uma olhada nos planos das operadoras do seu destino e comparar com o preço no site do chip de viagem.

Vantagens do Chip de Viagem

O grande benefício do Chip de Viagem é a sua conveniência. Você faz a compra pela internet, e o chip chega diretamente na sua casa, então não é preciso procurar em quiosques ou operadoras. No dia do embarque, é só levar o simcard com você e colocá-lo no seu celular depois que o avião decolar. Ao chegar no destino, você já vai ter internet e pode chamar um Uber ou avisar sua família que está tudo certo.

Como você escolhe o número de dias, você já sabe que o chip de viagem vai funcionar por toda a sua aventura e, caso decida ficar mais tempo, existem os chips recarregáveis que podem dar conta do recado. Você também tem a certeza da quantidade de dados que tem disponível, e não precisa se preocupar em ser enrolado ou até mesmo só em entender um vendedor de operadora local, já que dependendo da língua isso pode ser bem difícil, rs.

Dicas para usar o celular em viagens e não pagar uma fortuna de roaming! Descubra tudo sobre o chip de viagem!

E, claro, como é uma compra única não vinculada a qualquer tipo de plano, você pode ter certeza que não vai ter cobranças extras e que a conta não vai vir monstruosa no final do mês!

Desvantagens do Chip de Viagem

A única desvantagem que consigo pensar em relação a esse tipo de produto é o preço. Dependendo da quantidade de dias e dados, pode ser que seja mais caro usar um chip de viagem do que comprar um chip no seu destino. Você decide se a conveniência de já ter internet assim que o avião pousar vale a pena essa diferença de valores.

Gostei do Chip de Viagem! Como funciona exatamente e qual a melhor empresa?

Aqui no blog eu tenho uma página inteira dedicada ao chip de viagem, explicando em detalhes como ele funciona e até mesmo com contas para mostrar como esse produto pode te ajudar a economizar durante as suas aventuras pelo mundo. Se você tem dúvidas sobre como esse chip funciona, recomendo dar uma lida!

De qualquer jeito, caso já tenha entendido e queira comprar o seu chip (ou até mesmo só olhar os preços), eu recomendo o site da Viaje Conectado, que vende o chip de viagem da Yes Brasil. No mercado há anos, a empresa é sinônimo de qualidade para brasileiros que vão fazer compras em Orlando, e quando se fala do seu chip não poderia ser diferente. Já recebi inúmeros relatos de que o simcard funciona bem até mesmo em lugares remotos, e o atendimento também é bem elogiado.

A Viaje Conectado tem planos para os Estados Unidos, Europa e diversos outros países. O site está todo em português, então é bem fácil fazer a compra, e caso tenha alguma dúvida você pode tanto entrar em contato tanto por e-mail quanto usar o atendimento por Whatsapp!

E aí estão, as três maneiras mais fáceis de usar o celular em viagens para o exterior!

Já usou alguma delas? Me conta como foi sua experiência nos comentários! :)

Gostou desse post? Salve no Pinterest para ler depois!

Descubra como usar o celular em viagens para o exterior sem gastar uma fortuna com roaming internacional! #viagem #dicasdeviagem #economizaremviagens

Os links para a Viaje Conectado são afiliados.

Deixe uma resposta

Fechar Menu