Brasil

Porque eu não recomendo visitar o Beto Carrero no verão

17 de janeiro de 2017

Clique no link e descubra porque você não deveria visitar o Beto Carrero no verão!

Antes que você tire conclusões precipitadas do título, deixa eu esclarecer: eu adoro o Beto Carrero. Já fui muitas vezes, tanto com a escola quanto por conta própria, e sempre me diverti muito.

No entanto, nenhuma das minhas visitas foi no alto verão. Tendo em vista que Santa Catarina fica lotada de turistas nessa época (a previsão para 2017 era um aumento de 20%, mesmo com a crise), eu imaginava que não era uma boa ideia.

Mesmo assim, quando minha prima do Rio de Janeiro veio visitar Floripa e me disse que queria ir no parque, eu respondi que sim na mesma hora. Sabia que ia enfrentar filas enormes e já fui preparada.

Visitando o Beto Carrero no verão

Como eu não ia no Beto Carrero desde 2010, achei interessante as mudanças que eles fizeram. Colocaram mais shows, aumentaram a quantidade de restaurantes, a área infantil… Eu não lembrava que o parque tinha um cenário tão detalhado, e fiquei bem impressionada.

Os shows são uma das partes mais legais do Beto Carrero no verão, já que você senta na sombra hahaha Clique no link e descubra porque eu não recomendo visitar o parque na estação mais quente do ano!

Show Velozes e Furiosos, muito inspirado no Lights, Motors, Action! do Disney’s Hollywood Studio.

Até que chegou a hora de ir nos brinquedos. Como eu disse, já esperava passar muito tempo nas filas, então não me surpreendeu que a FireWhip estivesse com uma estimativa de duas horas. O que eu achei absurdo foi que a estrutura do parque é, aparentemente, a mesma durante todas as estações do ano.

Aqui eu vou fazer uma comparação que pode ser um pouco chata. Ao visitar a Disney ou Universal, a maior parte das atrações tem filas de espera cobertas, muitas vezes com ar condicionado e até com algum entretenimento. O que é compreensível, afinal, os parques ficam em regiões com temperaturas elevadas na maior parte do ano (Flórida e Califórnia), então eles sabem que, no geral, os guests vão passar calor.

E o Beto Carrero é completamente inspirado nesses parques. E não falo isso na intenção de dizer que eles “estão tentando ser a Disney”, nada disso. O próprio parque se orgulha de ter adaptado algumas ideias estrangeiras dentro do Brasil, e fala sobre isso para quem quiser ouvir.

Então, eu me pergunto, por que eles não fizeram a mesma coisa com as filas? Por que eles se inspiraram só nos brinquedos e shows em si, e não na parte em que os visitantes vão passar a maior parte do tempo?

No inverno ou primavera, eu nunca questionei as filas não serem cobertas ou fechadas. O tempo costuma ser agradável e é até bom conseguir pegar um solzinho para se aquecer nos dias mais frios. Mas essa mesma situação é um absurdo no verão!

Como é que um parque com 25 anos de funcionamento, em uma região que chega a 40ºC em dezembro e janeiro, não pensa em colocar ao menos um toldo para fazer sombra nas filas? Tudo bem não ter ar condicionado ou entretenimento, mas nenhuma tentativa de tornar mais fresco o lugar onde os visitantes vão passar longas horas? Extremamente mal planejado.

Sombra nas filas? Nada disso! No Beto Carrero no verão você precisa enfrentar as filas enormes embaixo do sol! Clique no link e descubra porque eu não recomendo visitar o parque na estação mais quente do ano!

Uma pequena parte da fila da FireWhip. Como dá para ver, ela é totalmente aberta e sem sombras.

Voltando a história, ao aguardar a minha vez na FireWhip, eu percebi que seriam duas horas embaixo do sol do meio-dia, sem água, sem sombra, nada. A fila já era mal montada, dando voltas que não faziam sentido, mas o calor deixava tudo 30 vezes pior.

Eu saí do brinquedo me sentindo mal, com dor de cabeça, percebi que já tinha queimado onde a blusa não cobria e, mesmo sendo a minha atração favorita do parque, com a sensação de que não tinha valido a pena a espera e me questionando se foi uma boa ideia visitar o Beto Carrero no verão.

Do lado da FireWhip tem um quiosque vendendo Fast Pass. É uma pulseira que permite que você pegue uma “fila especial”, muito menor. Eu sabia que todas as atrações radicais (com exceção da outra montanha-russa) também tinham filas a céu aberto, e considerei a compra.

Até que eu vi o preço: R$112 reais para poder usar 16 vezes (no máximo duas por brinquedo). Levando em consideração que o preço do ingresso para um dia é R$140, você praticamente precisa comprar duas entradas para furar as filas. Eu já acho um absurdo o Universal Express, que é o equivalente da Universal, que custa metade do preço de um ingresso para um dia e tem uso ilimitado. Então imagina um FastPass limitado que custa 80% do preço de uma entrada? Surreal.

Na hora eu disse para mim mesma que não valia a pena, e que provavelmente eu estava achando tudo tão ultrajante porque estava com fome. Fomos até a praça de alimentação almoçar e me espanta dizer que ela não mudou nada nos últimos 7 anos. Isso quer dizer que ela continua sendo um espaço enorme, sem ar condicionado. Arrisco dizer que fora dela estava até mais fresco, pois tinha um ventinho.

Então, além de ficar na fila no sol, você ainda vai passar calor almoçando no Beto Carrero no verão. Para ser justa, até tinha um restaurante com ar condicionado na praça, mas como era de se esperar, ele estava mais que cheio e sem mesas disponíveis.

Já imaginou uma praça de alimentação mal ventilada e com ar condicionado? É o caso do Beto Carrero no verão! Clique no link e descubra porque eu não recomendo visitar o parque na época mais quente do ano!

Praça de alimentação aberta nas laterais, sem ar condicionado e com péssima ventilação. Para piorar, o Carrossel no meio é super iluminado e deixa tudo ainda mais quente.

Para resumir o resto do dia, fomos (ou tentamos ir) em outros quatro brinquedos: Madagascar Crazy River Adventure, Barco Viking, Big Tower e Free Fall (elevador). Os três últimos com filas com tempo de espera razoável (arrisco dizer que foi em torno de meia hora cada), e, com exceção de um pequeno pedaço da fila da Big Tower, toda a espera era no sol.

A atração do Madagascar, que antigamente era Império das Águas, estava com 3 horas e 10 de fila sem nenhum tipo de sombra. Desistimos devido ao calor e por ser uma atração não tão legal. No lugar, fomos ao Cinema 4D, com a esperança de passar alguns poucos minutos em uma sala refrigerada. Lamento dizer que o ar condicionado ou estava desligado, ou não estava dando conta.

Para fular as filas no Beto Carrero, você precisa comprar a pulseira de Fast Pass que custa R$112, 80% do valor do ingresso do parque! Clique no link e descubra porque eu não recomendo visitar o Beto Carrero no verão!

A fila do Madagascar Crazy River Adventure começava um pouco depois dessa placa. Sem sombras, é claro.

Essa visita foi, sem dúvidas, a pior experiência que eu já tive no Beto Carrero. E olha que já cheguei a ir em dias que choveu e quase todos os brinquedos fecharam. Voltei para casa frustrada e, sem dúvidas, se fosse a primeira vez, a minha opinião seria horrível.

Eu não queria que eles parassem o calor. Eu não esperava que magicamente fizesse 20ºC em Janeiro. Eu não queria que eles fossem a Disney. Eu não esperava filas pequenas. Eu só imaginei que eles fossem se preocupar com a experiência dos visitantes a ponto de não deixá-los enfrentar horas em pé no sol da tarde sem uma única sombrinha.

Como eu já disse, eu adoro o parque. Mas conhecendo todo o potencial das outras épocas do ano, eu não recomendo ir no Beto Carrero no verão.

Se essa estação for a sua única oportunidade, não se preocupe, tenho certeza que você vai conseguir se divertir e superar o calor. Mas, se você é como eu e sabe que vai se incomodar com o descaso do parque sobre o assunto, vale considerar adquirir o Fast Pass, apesar do preço abusivo (não tem outra palavra!!!!).

Sinceramente eu não consegui reunir material para algum outro post além desse, porque estava muito indignada hahaha. Mas quem quiser dicas das melhores atrações, onde se hospedar e outras informações, recomendo dar uma olhada no blog Vem pro Parque. Eles tem uma seção bem completa sobre o Beto Carrero World.

Em uma próxima estação, talvez?

Em uma próxima estação, talvez?

Mais alguém já visitou o Beto Carrero no verão? Teve uma experiência diferente? Me conta!

Gostou desse post e tá programando a sua viagem?

Então que tal ajudar o blog? É só fazer as suas reservas através dos nossos links! Você não paga nada a mais por isso e a gente ganha uma pequena comissão pela indicação! Olha quantos serviços legais você pode encontrar por aqui:

Compare os preços das passagens no Voopter ou veja as ofertas do Decolar.com.

Reserve o seu hotel através do Booking, com garantia de melhor preço. Ou use o Hoteis.com, onde você acumula pontos e pode trocar por diárias grátis.

Compre o seu seguro viagem no World Nomads e tenha cobertura para mais de 150 atividades de aventura.

Compare o preço entre as melhores locadoras de carro e pague em reais em até 12x sem juros na Rentcars.com.

5 Comentários

  • Responder Ana Steinbach 17 de janeiro de 2017 as 9:16 pm

    Concordo com teu ponto de vista, Alyssa! Realmente ter filas de 2 horas sem nenhuma sombra é desumano e surreal. Ninguém passa mal por lá, não? Porque ta impossível sobreviver à esse calor na sombra, imagina desse jeito :(

    ( aliás, adorei o blog e a sua escrita <3 )

    • Responder Alyssa Prado 19 de janeiro de 2017 as 11:47 am

      Desumano meeeesmo! Eu passei mal e fiquei morrendo de dor de cabeça, tenho certeza que não fui a única.

      Obrigada pela visita <3

  • Responder Wind up túnel de vento - Minha experiência em um simulador de paraquedismo indoor 13 de fevereiro de 2017 as 2:43 pm

    […] aquela dia, mesmo tendo adorado, eu desenvolvi um verdadeiro pavor de quedas livres. Big Tower no Beto Carrero? Passo. Montanhas-russas com inclinação de 90º? No, […]

  • Responder Daniela Xavier 6 de março de 2017 as 7:09 pm

    Oi Alyssa! Achei seu post super sem querer, a adorei o seu relato. Gostei tanto que já estou compartilhando no Vem por Parque. Eu estive lá também no verão, no final de janeiro do ano passado, um calor absurdo mesmo. O que nos incomodou foi realmente a falta de “carinho” com o bem-estar dos visitantes. Espero que melhore um dia né? Bjs e sucesso

    • Responder Alyssa Prado 8 de março de 2017 as 10:40 am

      Oi, Daniela! Espero que melhore mesmo, o parque é tão legal que esse problema das filas acaba ficando muito evidente =/ Mas com certeza é um ótimo passeio! :D Obrigada por compartilhar <3

    Deixe uma resposta